Archive for Março, 2010


Saída/Entrada

O final de um percurso laboral numa determinada organização comporta sempre algumas expectativas e alguns receios.

As expectativas vão para a adaptação às novas funções, novos colegas, novas tecnologias e novas metodologias de trabalho.

Os receios vão para a nostalgia da despedida, para a forma como as pessoas podem reagir à saída de um colega mas, sobretudo, pela marca que deixamos após vários anos de trabalho.

O desvanecer dos receios chega com  o aproximar do dia da partida. Os telefonemas mais institucionais dos clientes desejando felicidades, as abordagens na máquina do café procurando saber a próxima paragem, as reacções aos emails que dão conta da partida. Na reacção a esses emails, não deixa de surpreender, as boas reacções que chegam de franjas de uma organização, com alguma dimensão, que dão boa conta da imagem que deixamos para trás. Isso é gratificante.

Mas aquilo que é mesmo gratificante é perceber, ali nos momentos finais, que não deixámos ex-colegas para trás. Ao longo destes anos, ganhámos amigos.

Obrigado a todos.

Semana Santa no Sardoal

Foto por Pedro Sousa

Memórias

Se um velho atalho fosse o caminho certo há muito que seria uma estrada principal.

Foto por Pedro Sousa

Celebrações e tradições religiosas levam os católicos da Semana Santa à Páscoa

(com uma pequena referência à Vila)

#3

Cassius – Cassius 1999 Remix (Radio Edit)

O final da década 90 do século passado projectou diversos projectos franceses em múltiplas áreas dançantes e dançáveis. Dessa época, diversos hinos electrónico-festivos ficaram no trânsito das memórias sonoras. Muitos desses nomes -Daft Punk, Air, Laurent Garnier, Dimitri Of Paris, St. Germain, Etienne de Crécy, Alex Gopher – criaram o movimento que ficou conhecido por French Touch.

Esta escolha representa a deferência por esse período da história – todos os hinos da electrónica francófona que ficaram no ouvido e que ainda hoje parecem actuais. Músicas com um forte apelo dançante, festivo, reutilizando referências funk e soul de décadas anteriores e talhadas com enorme bom gosto.

Há músicas que nos fazem querer estar em festa. Esta é uma delas.

Dimitri Of Paris

O FCP com (e sem) Givanildo

Porto com Givanildo: 13 pontos perdidos.
Porto sem Givanildo: 9 pontos perdidos.
Tudo o resto são tretas para enganar papalvos.

Liguilha

Os meses de suspensão impostos pela Comissão Disciplinar da Liga, por agressões a agentes não desportivos, efectuadas por Hulk (doravante tratado pelo seu nome próprio) e Sapunaru já tinham parecido um pouco despropositadas e persecutórias.

A disparidade da decisão apresentada pelo recurso do FCP ao Conselho de Justiça da Federação, mostra que no futebol de consumo interno as tribos remam em sentidos distintos. Sobretudo, orgãos de justiça reguladores da mesma competição revelam uma leitura da lei tão distante e tão desfasada que só mostra que alguém anda a agir de má fé (se calhar andam todos).

Ainda assim, espero que não apareçam as teorias situacionistas e dos “ses” para justificar uma má época desportiva de uns e uma boa época desportiva de outros. Enveredando por esse caminho, convido à recordação dos 17 jogos efectuados pelo FCP na ausência de Givanildo. No campeonato perderam 9 pontos. Nada garante que os ganhassem com Givanildo em campo, tal como nada garante que não tivessem perdido pontos noutros jogos em que Givanildo abrilhantasse as partidas…

São as instâncias de justiça dos orgãos do futebol  a propiciar polémicas e suspeições incendiárias. Não é de admirar violência no futebol. Seguindo este caminho de descrédito, um dia, só os grunhos acéfalos se vão apresentar nos estádios.

Ecos dos confins do Ribatejo Norte

Diversos arautos fazem chegar de forma célere as novas sucedidas na Procissão dos Passos.

Os “finais” são mesmo assim: desgovernados, desnorteados e desoladores.

Flaming Lips, Massive Attack e MIA no Sudoeste

Pode ser a promessa de termos, finalmente, um cartaz em condições no Sudoeste.

Agressão verbal
Elas:
– Seu babaca escroto, animal filho da puta, ladrão, salafrário, viciado,
preguiçoso, vagabundo, corrupto, pão duro, mau-caráter, sanguessuga,
imbecil, cachaceiro, mulherengo, chifrudo ordinário, idiota, bêbado, burro,
inútil, você é um resto de merda que não serve pra porra nenhuma, seu
maldito desgraçado imprestável do inferno.

Eles:
– Gorda!

Ok, isso foi golpe baixo!

Daqui.

Parabéns rapazes

* O amor não libera a criança que existe dentro de você. O nome disso é cesariana. O amor é outra coisa;
* O amor não faz você sentir-se especial. O nome disso é deficiência física. O amor é outra coisa;
* O amor não te faz ouvir sinos enquanto beija. O nome disso é pegação atrás da igreja. O amor é outra coisa;
* O amor não te deixa quente e te leva pra cama. O nome disso é dengue. O amor é outra coisa;
* O amor não te deixa molinho e manhoso. O nome disso é Rivotril. O amor é outra coisa;
* O amor não te deixa temporariamente cego. O nome disso é spray de pimenta. O amor é outra coisa;
* O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez. O amor é outra coisa;
* O amor não faz você ouvir o próprio coração. O nome disso é estetoscópio. O amor é outra coisa;
* O amor não te faz ficar simpático e amoroso de repente. O nome disso é Natal. O amor é outra coisa;
* O amor não liberta. O nome disso é ALVARÁ DE SOLTURA. Amor é outra coisa;
* O amor não te faz ver o mundo cor-de-rosa. O nome disso é baitolice. O amor é outra coisa;
* O amor não te faz ver tudo com outros olhos. O nome disso é transplante. O amor é outra coisa;
* O amor não faz você se sentir sempre acompanhado. O nome disso é encosto. O amor é outra coisa;
* O amor não te leva por caminhos tortuosos e te assusta de vez em quando. O nome disso é trem fantasma. O amor é outra coisa;
* O amor não faz você chorar sem motivos. O nome disso é cebola. O amor é outra coisa;
* O amor não nos faz perder a noção do tempo. O nome disso é horário de verão. O amor é outra coisa;
* O amor não faz você se sentir em outro mundo. O nome disso é autismo. O amor é outra coisa.
* O amor não te faz acessar o insoonia todos os dias. O nome disso é Gleicou. O amor é outra coisa.

Tirado daqui.

Pela vereda fora

O conhecimento do próximo tem isto de especial: passa necessariamente pelo conhecimento de si mesmo.

Italo Calvino

5 Assistentes Operacionais – Sapadores Florestais

Licenciatura em Marketing não requerida.

500 anos de arte em exposição

No “Fátima Missionária“.

A “Semana Santa” mesmo aí

Fátima Missionária

O som da aldraba. Dois senhores de fatinho do outro lado da porta. Panfletos com imagens celestes em mão.

Um dos senhores de fatinho: “Acredita que toda as pessoas vão para o céu?”

Eu: “Se existir céu, não.”

O mesmo senhor de fatinho: “Está a ver,  acredita que nem todas as pessoas vão para o céu!”

Num processo de evangelização, uma falha flagrante na defesa dogmática, à primeira abordagem, merece ordem de expulsão da soleira da porta.

Futebóis

Numa bonita cerimónia realizada esta tarde na cidade do Porto, a delegação de Olhão atribuiu a 3ª posição da Liga Sagres 2009/2010 ao Futebol Clube do Porto.

Parabéns pá

O jornal que mais vezes fui comprar a uma banca faz hoje 20 anos.

Numa altura em que anda meia blogosfera a lampejar piropos à Nigella Lawson, convém ter sempre disponibilidade para recordar a “clássica”.

Genial