Finais de noite a digladiar virtudes de bebidas generosas. Aguardentes velhas vs. cachaças velhas vs. whisky velhos.

Interlocutores portugueses e brasileiros.

Guardo com respeito as vossas opiniões sobre aguardentes de cana e apreciações a aguardentes da velha Bretanha alteradas quimicamente. No entanto, por cá, temos algumas coisas produzidas a partir de vinhos leves, equilibrados na acidez e na graduação. Vamos buscar uns alambiques a França, ali à região de Cognac (este pessoal de Cognac bate-se bem connosco na produção de aguardentes). Desses alambiques escorre um líquido de cor âmbar e aspecto límpido. Esse líquido repousa em cascos de carvalhos (também ele francês, provavelmente da região de Limousin) durante 10-15 anos. Findo esse período, existe prontidão para sentir aromas de bagas e flores silvestres envolvidos em delicadas sensações de madeira nobre. Aveludadas, suaves e com complexidade aromática.

Voltaremos a falar novamente depois de bebermos todos juntos uma C.R.F. Reserva ou uma Adega Velha.

aguardente

Anúncios