Archive for Novembro, 2009


Vida em 30 horas

Afectos

“Valentino”

Maxime

Afectos

Sono

Afectos

Pizza Hut

Família

Castanhas Assadas

C.R.F.

Benfica

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Mini Sagres

Amigos

“Casal da Coelheira” Reserva

Tekken 6

Queijo Feta

Amigo

Repousar

Tomando em braços Leonor, 2,5 Kg de uma futura benfiquista ferrenha, o assomo de enternecimento é coisa simples e fulminante.

Um pequeno ser, tranquilo, sem noção da sua fragilidade e dependência de terceiros. Lá surge, aquela lagrimazita de emoção de ter no colo uma vida na sua essência mais genuína e mais ternurenta…

Afinal, o que anda aqui um gajo a fazer?

Perderam-se os três mas só foram precisos dois.

Indefinidamente

Taking a Break – Howard Dubois

Fim-de-Semana

Desapareceu do país, substantivo feminino de origem latina – baptizado pelos seus progenitores de verecundia. Vestia um traje formal e clássico. No seu último avistamento apresentava sinais de abandono e maus tratos.

A indivídua em questão era usada pelo cidadão comum, embora fosse esperada ser prática corrente em responsáveis de cargos públicos.

A sua omissão da vida pública banalizou-se e o seu desaparecimento é visto hoje em dia com normalidade. Quem dela se recorda tem sido olhado de lado pelos demais. O seu regresso pode representar o fim da distribuição de trens de cozinha por amigos políticos ou o término de negociatas sucateiras bastante proveitosas.

A significação em questão é uma condição psicológica e induz consciência de desonra, desgraça, amoralidade e desonestidade.

Dão-se generosas alvíssaras a quem a encontrar. O seu surgimento pode salvar um país.

Vergonha, volta depressa!

A década 00-09 está a fechar bem

Um homem andava desconfiado que a mulher lhe era infiel. Um dia, não aguentando mais, decidiu contratar um detective. O detective começa a seguir a mulher. Passados vários dias o detective apresenta ao homem várias fotografias. A primeira fotografia mostra a mulher a encontrar-se com outro homem num café. A segunda mostra a mulher com esse outro homem a entrar num carro. A terceira mostra-os num bar.  A quarta mostra-os  a entrar num quarto de motel. A quinta mostra-os juntos dentro do quarto de Motel. A sexta fotografia está totalmente preta.

– “O que aconteceu a esta foto? Está preta porquê? O que aconteceu a seguir?”, pergunta o homem ao detective.

– “Apagaram a luz”, diz o detective.

– “Merda! Fica sempre aquela dúvida …”, conclui o homem.

Surripiado daqui.

Embrenhado por estes dias em ambientes repletos de segredos insípidos, tenho-me sentido de regresso ao 6º do ciclo. Naquela altura, nesse longínquo 6º ano, o segredo de recreio ou de colega de secretária, revelava um processo de intenções. Seria uma coisa do género, “Gosto da Maria mas não lhe digas”. Este tipo de partilha é um segredo “em pulgas” para perder a estância. Revela a vontade de um emissor em fazer transmitir uma mensagem a um destinatário – em principio, a própria Maria – mas sem capacidade para evitar a cora das faces.

Seja nas esquinas dos corredores ou nas janelas de conversação minimizadas, um segredo não passa de um pedaço de informação prestes a perder o estatuto de confidência.

Brilhante

portugalfundo

A candura camponesa

Avó -“Está a dar bola?”

Neto -“É o Portugal-Bósnia.”

Avó -“Não anda a guerra lá na Bósnia?”

Neto -“Não Avó, isso já acabou.”

Avó -“Então e onde anda a guerra agora?”

Dediquei alguns minutos a ver o ajuntamento de moços de Queirós a jogar com esse colosso do futebol mundial que dá pelo nome de Bósnia e Herzegovina. Como me confrange a incompetência e a incapacidade para assumir cargos e tarefas, Queirós (ou Queiróz, depende das marés) não merece levar os moços ao mundial.

A melhor forma de não passar por vergonhas é ficar em casa.

PS: Mesmo que Queirós (ou Queiróz) desfrute de um megalómano ocaso probabilístico na próxima 4ª feira e consiga levar os moços ao Mundial, já defini o meu apoio para África do Sul 2010.

Natascha_McElhoneNatascha McElhone

57_aniversario

Para além do 19 de Março, hoje é mais um dos teus Dias.

sr_pinto_de_sousa

Pois estás, pá.

scp

Belo dito zombeteiro sobre a escolha de um novo treinador para a agremiação que está por detrás do Lidl do Campo Grande.

“O homem que orienta o último classificado da Liga Sagres e iniciou a carreira no mês passado veio a revelar-se uma fantasia impossível para o clube leonino”

Ricardo Araújo Pereira

O pequeno planeta está cada vez mais próximo.

Repasto nocturno em Lisboa, num restaurante irlandês, na tela gigante um Atlético-Real, transmitida na Sky Sports 2. Portugal+Irlanda+Espanha+ Inglaterra.

(Nota para a tribuna presidencial do Santiago Bernabéu: O “meu” Real não é isto. É  Butragueño, Hierro, Raúl e Hugo Sanchez. E Di Stefano a dizimar defesas em “preto e branco”.)

Finais de noite a digladiar virtudes de bebidas generosas. Aguardentes velhas vs. cachaças velhas vs. whisky velhos.

Interlocutores portugueses e brasileiros.

Guardo com respeito as vossas opiniões sobre aguardentes de cana e apreciações a aguardentes da velha Bretanha alteradas quimicamente. No entanto, por cá, temos algumas coisas produzidas a partir de vinhos leves, equilibrados na acidez e na graduação. Vamos buscar uns alambiques a França, ali à região de Cognac (este pessoal de Cognac bate-se bem connosco na produção de aguardentes). Desses alambiques escorre um líquido de cor âmbar e aspecto límpido. Esse líquido repousa em cascos de carvalhos (também ele francês, provavelmente da região de Limousin) durante 10-15 anos. Findo esse período, existe prontidão para sentir aromas de bagas e flores silvestres envolvidos em delicadas sensações de madeira nobre. Aveludadas, suaves e com complexidade aromática.

Voltaremos a falar novamente depois de bebermos todos juntos uma C.R.F. Reserva ou uma Adega Velha.

aguardente

Era de esperar que a progressão da idade conferisse uma carapaça resistente à aferição da canalhice. Não está ser assim.

Quanto mais se olha à nossa volta, e à volta de outros, temos percepção de que o mundo social e profissional se movimenta baseado em alguns preceitos iníquos. Facadas nas costas, pequena intriga, promoção da mediocridade, omissão de gratidão e desonestidade moral e intelectual.

No meio de tudo isto, guardo uma frase. Talvez um modus operandi de ora avante:

Até me podem foder mas vão ter de me namorar muito bem“.

2009_11_13

Adenda: Professor Cavaco, não tem nada a dizer?

“A hipocrisia é o tributo que o vício presta à virtude.”

castanhas

Chiça

ninfolepsia
(grego númphê, -ês, esposa, ninfa, larva de abelha + grego lépsis, -eos, acção! de agarrar, acção! de receber + -ia)

s. f.
Misantropia que leva a procurar a solidão dos bosques.

Pretty little girls? Yes maam.
Did you go down town? Yes maam.
Did you see my brown? Yes maam.
Did he buy me any shoes? Yes maam.
…Rockin’ shoes? Yes maam.
Put him on the train? Yes maam.
The [air rail]? Yes maam.
Which way did he go? Choochoo
All nite long. Choochoo