comida

Um repasto é um dos preceitos mais acessíveis para fruir. Para surpreender o palato, aromatizar as narinas, destapar texturas e entabular uma conversa embalada por saberes e sabores gastronómicos.

Muitas refeições são vividas em aceleração, na procura do final mais próximo possível. Imperativos horários, imposições e obrigações.

Ainda assim, faz-me cada vez mais confusão a omissão de apreciações acerca das comidas durante uma refeição. Confunde-me e baralha-me quem não consegue tecer uma consideração. Se está bom ou mau, se é saboroso ou intragável, se recomenda ou não. Pessoas que atravessam um almoço com ar de enfado, com o pesar de obrigação da alimentação. Sem necessidade de gostar ou desgostar dos sabores e das sensações, à míngua de agradar ao palato e demais sentidos.

Confunde-me…

Anúncios