Porque as horas vão passando e os gostos continuam a aparecer em catadupa, segue a enumeração.

Gosto de Scrabble.

Gostas de músicas que parecem descrever fases da minha vida.

Gosto de receber boas novas de quem gosto.

Gosto de interlocutores que dão luta.

Gosto de ficar para trás na marcha de multidões.

Gosto de Monty Python.

Gosto de sonhar que um dia vou saber pôr música como deve de ser.

Gosto de pessoas que sabem ser frontais – nem toda a gente sabe fazê-lo bem.

Gosto dos 2 Many Djs.

Gosto de pessoas genuínas.

Gosto de quem sabe para onde quer ir.

Gosto do cheiro das padarias.

Gosto de me espalhar em camas confortáveis.

Gosto de nadar.

Gosto da SIC Notícias.

Gosto do meu silêncio.

Gosto de andar com dinheiro na carteira.

Gosto de andar às compras nos supermercados.

Gosto de ser encantado com coisas simples

Gosto de vinhos tintos.

Gosto da língua portuguesa e usar expressões que estão na dormência do discurso corrente.

Gosto de cigarrilhas aromáticas.

Gosto de me entusiasmar com conversas.

Gosto quando percebem o que sou.

Gosto de sentir cumplicidade.

Gosto de sentir que tenho razão.

Gosto de ser paciente, altruísta, generoso e dedicado.

Gosto de andar na linha frente.

Gosto de surpreender.

Gosto de pessoas atentas e educadas.

Gostava de escrever algo assim para um “Não Gosto” – mas ia aborrecer-me.

Gostava de gostar mais de mim.

Anúncios